Os estudantes do Colégio Nossa Senhora da Providência, em Miranorte, estão tendo aulas na quadra de esportes. Os quadros foram encostados no alambrado e os professores afirmam que é difícil prender a atenção dos alunos. O problema acontece porque a escola apresenta diversos problemas na estrutura das salas de aula. Segundo a comunidade escolar, o prédio corre risco de desmoronar.

Um protesto foi organizado nesta segunda-feira (25) para cobrar melhores condições aos alunos e professores. “Estamos trazendo nossos alunos correndo risco de vida porque aqui tem fios expostos, teto querendo cair. Tudo aqui tá precisando de uma reforma, tem que ser geral. Não é só uma reforma paliativa”, afirmou Fabiana Noleto, que é mãe de um aluno.

O prédio da escola parece que está abandonado. Salas estão interditadas, a fiação exposta e o forro danificado devido à umidade. Além da quadra de esportes, outras turmas foram colocadas pátio do colégio e no auditório.
Escola em Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera Escola em Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera

Escola em Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera

“Toda acabada. Corre risco de cair em cima da gente. Caiu uma lâmpada em cima da minha colega”, disse a estudante Maria Helena Soares. “Tá caindo aos pedaços. Como é que a gente vai estudar nessa escola”, reclamou a aluna Maria Paula.

Na quadra esportiva, onde quatro turmas foram colocadas, os estudantes estão expostos às condições climáticas e quando o sol aparece fica difícil estudar. “A gente não aprende desse jeito porque tem que ficar se deslocando de um lugar para o outro toda hora”, afirmou Camile Victória Costa.

Segundo os professores não tem como os alunos se concentrarem na aula. “Se hoje em dia a gente já faz de tudo para chamar atenção do aluno dentro da sala de aula, você imagina em um espaço aberto com quatro salas, onde tudo pode chamar a atenção de um aluno”, explicou a professora Sueli Modesto.

“Eles prestam muito mais atenção na sala vizinha do que na aula aqui. Não tem divisória nenhuma, não tem nada que prende eles aqui”, comentou o professor Antônio Francisco.
Escola de Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera Escola de Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera

Escola de Miranorte — Foto: Divulgação/TV Anhanguera

A coordenadora afirma que a comunidade está sendo desrespeitada. “Nós sempre estamos reivindicando os direitos porque nos preocupamos com a educação. Os professores são rechaçados na comunidade porque os pais, até por falta de informação, acham que não estamos lutando por um direito que é deles. O aluno precisa de uma educação de qualidade. Isso é obrigação do estado”, afirmou Selma Maria.

O colégio Nossa Senhora da Providência tem mais de cinquenta anos. São mais de 600 alunos do sexto ao oitavo ano. A falta de estrutura foi parar na Justiça e no último dia 16 uma decisão deu 10 dias para que a unidade seja desocupada e os alunos enviados para outro local.

O prazo vence na próxima quarta-feira (27) e se a decisão não for cumprida a Secretaria Estadual de Educação deverá pagar uma multa de R$ 5 mil dia. Enquanto os alunos enfrentam essa situação, uma unidade que começou a ser construída em 2009 nunca foi concluída.

Outro lado

A Secretaria Estadual de Educação informou que os alunos serão transferidos para outra escola. Essa medida tem caráter provisório e o governo vai concentrar esforços para retomar e concluir as obras da Escola Padrão, que começaram em 2010.

Polêmica

Em janeiro, uma medida da Secretaria de Educação causou polêmica ao anunciar que 21 escolas seriam fechadas em todo o estado. Entre os motivos apontados pelo governo está a queda no número de matrículas.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario