Falta pouco para Marielle Franco virar nome de jardim na capital francesa. A comissão de denominação de ruas da prefeitura de Paris anunciou o local escolhido: um novo espaço verde junto à Gare de l’Est, uma das principais estações de trem de Paris.

Marielle Franco foi morta junto com o motorista Anderson Gomes numa emboscada no dia 14 de março de 2018. Quase um ano depois, dois suspeitos do crime foram detidos, um policial militar e um ex-PM.

Ainda em março do ano passado, a prefeitura de Paris instalou um grande retrato de Marielle na fachada do prédio. Várias vezes, a própria prefeita Anne Hidalgo tuitou a respeito da morte da vereadora, cobrando uma resolução do crime.

A comissão de denominação de ruas da prefeitura de Paris determinou que um futuro terraço verde na região central da cidade vai ser batizado com o nome de Marielle Franco. A decisão ainda precisa ser ratificada pelo conselho do 10° distrito, bairro onde fica a futura praça suspensa, no dia 28 de maio, e depois pelo Conselho de Paris, que vota no dia 11 de junho.

“Era importante que fosse numa área ainda popular da cidade”, diz a historiadora Juliette Dumont, que faz parte da ONG RED.Br – Rede Europeia pela Democracia no Brasil, entidade à frente da iniciativa. “Os parisienses vão poder se apropriar do espaço, frequentar o Jardim Marielle Franco, que não vai ser apenas uma placa na parede”, diz.

Jardim suspenso

O espaço vai ser implantado no terraço de um hotel em construção ao longo da via férrea. As obras devem terminar no final de julho. O jardim vai ficar no nível da rua, que se eleva paralelamente aos trilhos. A inauguração do Jardim Marielle Franco deve acontecer no segundo semestre, provavelmente em outubro, informou Dumont.

Em comunicado, o RED.Br se diz muito satisfeito pela escolha. “É um local amplo, arborizado, com vista espetacular dos telhados de Paris, em um bairro muito animado e ainda popular. Achamos que a memória de Marielle vai poder crescer ‘como uma flor no asfalto’, segundo expressão que ela dizia com frequência antes de morrer.

O primeiro passo para ter um logradouro parisiense em homenagem à vereadora do PSOL foi dado em fevereiro, em carta aberta do RED.Br, à prefeita Anne Hidalgo, em fevereiro deste ano. A prefeita adotou a petição e no começo deste mês comemorou a aprovação da homenagem pelo conselho de Paris, que reúne os vereadores da cidade.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario